Home > Notícias > Vídeo: deputado do Novo bate-boca com manifestantes contra PEC 32 em aeroporto

Vídeo: deputado do Novo bate-boca com manifestantes contra PEC 32 em aeroporto

Parlamentares favoráveis à PEC da reforma administrativa foram recebidos em meio a protestos no Aeroporto de Brasília. Vinicius Poit (Novo-SP), Marcel Van Hattem (Novo-RS) e Darci de Matos (PSD-SC) se desentenderam com manifestantes


Vídeo: deputado do Novo bate-boca com manifestantes contra PEC 32 em aeroporto
Foto: Sindilegis

Correio Braziliense

O deputado Vinicius Poit (Novo-SP) partiu para cima de manifestantes que protestavam, nesta terça-feira (19/10), no Aeroporto de Brasília, contra a PEC da reforma administrativa. Ele chegou a empurrar um manifestante. Foram registrados protestos em outras 15 capitais.


Além do deputado Vinicius, Marcel van Hattem (Novo-RS) e Darci de Matos (PSD-SC), fiéis defensores da PEC da reforma administrativa, também se irritaram e bateram boca ao serem recebidos por manifestantes no aeroporto de Brasília.

A campanha “Não seja laranja desta PEC” é uma parceria entre o Sindilegis (sindicato dos servidores da Câmara, do Senado e do TCU) e o Sindjus-DF (sindicato dos servidores do Judiciário e MPU no DF).

As duas entidades, juntamente com o Fonacate (Fórum Nacional Permanente das Carreiras Típicas do Estado) e a Frente Servir Brasil, têm realizado, semanalmente, com o apoio de sindicatos estaduais, manifestações às segundas e terças-feiras em 16 capitais desde o início de outubro.

Com carros de som, manifestantes também circularam pelas quadras residenciais dos deputados, tocando a música “Barões da Rachadinha”. Outro grupo se concentrou em frente à residência oficial do presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), que inclusive, já se queixou do barulho.

PEC da Reforma

A PEC 32, que trata da reforma administrativa, foi proposta em setembro de 2020 pelo governo de Jair Bolsonaro (sem partido). Um ano depois, a proposta começou a avançar na Câmara com uma série de mudanças no texto.

A proposta foi então apreciada no fim de setembro pela comissão especial, mas ainda não foi pautada no plenário da Câmara por não haver votos suficientes entre a maioria dos deputados.

Um dos pontos mais criticados da reforma administrativa é a terceirização de servidores públicos. A PEC estabelece a contratação temporária de servidores por até 10 anos. Os organizadores da campanha “Não seja laranja desta PEC” afirmam que a proposta permite "a contratação ilimitada de temporários e terceirizados para todas as áreas do serviço público”.






NOSSOS

PARCEIROS