Home > Notícias > Servidores com contas do Sicoob são surpreendidos e ficam sem receber salários

Servidores com contas do Sicoob são surpreendidos e ficam sem receber salários

Negligência gera preocupação naqueles que não possuem reservas financeiras e contam apenas com seus salários para se manter durante o mês. Em plena pandemia, maioria está sem saber quando terá situação resolvida


Servidores com contas do Sicoob são surpreendidos e ficam sem receber salários
Imagem de Steve Buissinne por Pixabay

Condsef/Fenadsef

A Condsef/Fenadsef recebeu nessa quarta-feira, 7, reclamações de servidores ativos, aposentados e pensionistas com contas no SICOOB que estão sem receber seus salários do mês de abril. A Diretoria de Gestão de Pessoas (DGP) enviou a esses servidores um informativo avisando que para regularizar a situação do pagamento uma conta salário deveria ser aberta. Os afetados teriam que entrar em contato com o banco para promover a criação dessa conta e, em seguida, informar a alteração os dados bancários, por meio de um módulo de requerimentos feito via Sigepe.

A DGP enviou por email aos servidores um passo a passo (imagem abaixo) para realização do procedimento. Ocorre que, em plena pandemia, num momento delicado com números alarmantes de vítimas da Covid-19, a resolução do problema se torna ainda mais complexa. A alteração da conta exige a presença física do titular da conta no banco, além da dificuldade que muitos aposentados já relatam de seguir as orientações pela internet.

Para a Condsef/Fenadsef, uma alteração de procedimento como essa deveria ter sido informada e orientada com muita antecedência. A negligência do aviso em cima da hora, tendo sido as pessoas surpreendidas sem o depósito do seu pagamento mensal, torna o problema ainda mais urgente. Muitos dos servidores atingidos não possuem reservas financeiras e contam apenas com seus proventos para se manter durante o mês.

Providências imediatas

A Condsef/Fenadsef cobra que uma solução alternativa e imediata seja encontrada pela DGP para assegurar o salário desse mês e para que esses servidores tenham tempo hábil para regularizar a situação conforme foram orientados. "É preciso que haja sensibilidade e bom senso por parte do governo para que os afetados pela situação não sejam prejudicados e fiquem sem os seus salários", pondera o secretário-geral da Confederação, Sérgio Ronaldo da Silva.

As denúncias do problema começaram por Brasília, mas estima-se que o impacto seja nacional e tenha atingido servidores de outros estados. A Condsef/Fenadsef também já acionou sua assessoria jurídica para que acompanhe a situação e possa analisar a tomada de medidas que assegurem proteção a esses servidores. Todos que se encontrarem nessa situação devem relatar imediatamente também aos seus sindicatos de base nos estados. 






NOSSOS

PARCEIROS