Home > Notícias > A 4 semanas do fim de trabalho legislativo luta contra PEC 32 deve aumentar, diz deputado

A 4 semanas do fim de trabalho legislativo luta contra PEC 32 deve aumentar, diz deputado

Para o deputado federal Rogério Correira a derrota da PEC 32 é possível. Para isso a mobilização nessas próximas semanas será crucial. Confira o recado do parlamentar


A 4 semanas do fim de trabalho legislativo luta contra PEC 32 deve aumentar, diz deputado
O deputado federal Rogério Correia (PT-MG)/Reprodução

Condsef/Fenadsef

Faltam quatro semanas de trabalho legislativo para que uma vitória histórica seja alcançada com a derrota da PEC 32, da reforma Administrativa. Essa é a análise do deputado Rogério Correia (PT-MG) feita nessa sexta-feira, 19. O recado aos servidores é para que a mobilização fundamental contra a proposta que, na prática, representa o fim dos serviços públicos brasileiros, seja intensificada. "Nitidamente o governo não tem votos para aprovar a PEC 32", destacou o deputado. A PEC 32 é considerada a maior e mais absurda proposta de desmonte do Estado já apresentada ao Congresso Nacional. 

Um dos coordenadores da Frente Parlamentar Mista do Serviço Público, Rogério Correia pontua ainda pontos perversos do substitutivo aprovado na Comissão Especial da Câmara dos Deputados. A PEC 32 afeta atuais servidores, diferente do que afirma o governo. A proposta possibilita corte de até um quarto do salário e jornada de servidores, regulamenta demissões atrave´s de avaliação de desempenho, entre outras maldades como fim de carreiras, promoções, progressões e a consolidação de contratos temporários que passariam a ser regra, substituindo concursos públicos. 

Para Rogério Correia, o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, tem demonstrado desânimo de colocar a PEC 32 em pauta. "Esse desânimo é porque há uma mobilização grande do povo brasileiro, servidores e servidoras em relação à derrota dessa proposta", pontuou. Correia avalia que uma mobilização especial durante essas quatro próximas semanas será crucial. "Com isso a gente faz com que a derrota dela esse ano seja uma derrota também em 2022", disse. Para ele nenhum deputado vai querer colocar suas digitais em ano eleitoral em algo tão sujo quanto essa proposta de 'de'forma Administrativa. "Sigamos em luta. Animados. Podemos e iremos vencer essa batalha", concluiu o deputado. 






NOSSOS

PARCEIROS